quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Alergia - o que é, sem termos técnicos - parte 3


Se você leu a parte 1 e a parte 2, deverá ser capaz de concordar que:

- Alergia tem origem genética e por isso não tem cura.

- A exposição aos causadores de alergia causa inflamação e coceira na pele por um mês.

- Pele inflamada é predisposta à infecção por micro-organismos oportunistas.


Por isso tudo, a prevenção das causas de alergia deve ser feita por toda a vida e quanto mais bem executada, menores os gastos e maior a qualidade de vida do animal alérgico.

Alergia - o que é, sem termos técnicos - parte 2

Por que o alérgico sente coceira?

Todo corpo tende a identificar as moléculas invasoras e a se defender, produzindo anticorpos (do tipo IgG).  No animal alérgico, o corpo também identifica os invasores, mas produz anticorpos diferentes (do tipo IgE), causadores de inflamação e coceira.

Por que o alérgico piora com o passar do tempo?

Funciona assim: o animal nasce com potencial genético para “implicar” com o que tiver contato. A cada contato, um pouco de anticorpo de coceira (IgE) é produzido e vai pra pele causar inflamação e coceira até ser inativado (esse anticorpo perde a função depois de um tempo). Assim, num primeiro momento, há tão pouca quantidade de anticorpo de coceira (IgE) na pele, que não é possível detectarmos a olho nu nenhum sinal de inflamação ou de incômodo/coceira. 

É por isso que todo animal alérgico nasce sem sinais de coceira e com o tempo (podem ser alguns meses ou anos), vai apresentando uma coceirinha aqui, outra ali; um probleminha de pele agora, outro ano que vem, e quando já teve muito contato com o que dispara alergia, apenas uma mínima exposição já inflama e detona toda a pele, numa reação em cadeia bem exagerada.

No alérgico, ouvido também é pele:

A mesma pele que reveste o corpo do animal, também reveste os ouvidos. Assim, sempre que a alergia inflama a pele, também inflama o ouvido do animal alérgico. 

Da mesma forma, a otite não tratada acaba inflamando o resto do corpo do animal alérgico. 

Resumindo: tudo o que acontece na pele do animal alérgico, acontece também na pele do ouvido. Com raríssimas exceções, até que seja provado o contrário, você pode considerar que “otite é sempre culpa da pele”, no animal alérgico.

Alergia inflama a pele. Pele inflamada significa o quê?

Quanto mais inflamada a pele do animal, mais micro-organismos estarão presentes. É disso que você deve lembrar quando olhar seu animal alérgico. 

Pele inflamada tem pH menos ácido e temperatura mais adequada à proliferação das bactérias e fungos que já habitam a pele normalmente. 

Quando em muita quantidade, esses organismos causam mais coceira e mais lesões (no corpo e nos ouvidos, não esqueça!).

Pele inflamada tem buracos:

Além disso, pele inflamada significa pele “esburacada”, que deixa entrar muito mais moléculas causadoras de alergia do que a pele não inflamada. 

Uma vez que as moléculas causadoras de alergia entram no corpo, o sistema imunológico produz os anticorpos de coceira (IgE), que só “morrem de velhos” (ficam inativos), após quatro semanas. 

Isso significa que o contato hoje com uma molécula causadora de alergia deixará a pele do seu animal inflamada e coçando durante QUATRO SEMANAS INTEIRAS!

Pergunto: sabe quanto tempo demora para micro-organismos se multiplicarem na peleʔ Apenas algumas horas. Imagine como vai estar a pele do animal alérgico depois de um mês inflamada e coçando...

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Cuidado com a leishmaniose!


Vc leva seu cão pra passear à tardinha?

Vc deixa seu cão solto na rua pra namorar à vontade?

Vc mora a menos de 100m2 de local com árvores e/ou jardim?

Vc mora a menos de 100m2 de local com lixo exposto?

Seu cão tem lesões nas orelhas ou na face?

Algum cão da casa do vizinho perdeu peso ou tem lesões de pele que não melhoram?

Seu cão perdeu peso ultimamente, sem estar de dieta?

Vc adotou uma cadela prenha e não sabe onde ela andava ou quem são os pais dos filhotes?

Se vc respondeu a sim pra alguma dessas perguntas, deve procurar seu clínico veterinário e pedir um exame para pesquisar a leishmaniose. 

Há exames de sangue baratos e pouco desconfortáveis, que podem ser usados como triagem dessa zoonose. Mas é importante que um médico veterinário bem atualizado no assunto acompanhe a interpretação desse tipo de exame, pois há uma pequena possibilidade de resultados falso-positivos e também de falso-negativos, em situações especiai.

Nos casos de exame de triagem (sorológico) positivo, serão necessários novos exames, mais específicos, para confirmar. Então, nada de economizar ou desesperar no primeiro exame positivo, ok?  

A leishmaniose está cada vez mais frequente no Brasil e poucas pessoas reconhecem os sinais. Essa doença pode passar para vc e sua família. Então, informe-se com seu médico veterinário sobre a vacinação do seu cão e sobre como evitar a picada do mosquito-palha!