segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Demodex- Saiba mais sobre a sarna que não coça.

 1) O que é?
Cortesia do Dr. Paulo Diniz
 A pele do cão tem inúmeros habitantes microscópicos, assim como a nossa pele. Um dos habitantes presentes em todos os cães é a Demodex, uma sarna, da família dos ácaros e dos carrapatos. Veja como ela é  na foto ao lado:


2) Como ela veio parar no meu cão?
Todo cão nasce sem a sarna e adquire, por contato, diretamente da sua mãe, a partir das primeiras horas de vida, já durante a amamentação. Isso quer dizer que todo cão sadio tem algumas sarnas desse tipo na pele. Não é necessário trocar a toalha de banho, a cama e nem tomar cuidado com o ambiente freqüentado pelo animal para evitar que ele “pegue” a sarna demodécica.

3) Demodex passa para meus filhos ou para outros animais da casa?
Essa sarna é específica de cães. Isso significa que não é transmissível para outras espécies e já que todo cão tem a sua, não é considerada transmissível entre os cães de mesmo ambiente também.

4) O que ela faz na pele do meu cão?
A Demodex vive dentro do folículo do pelo, dentro da pele, expulsando o pelo daquele local onde ela está sem causar dor, coceira ou qualquer problema. Por causa disso, se você olhar seu cão agora, não vai perceber quais pelos caíram por causa dela. Isso é normal!

5) Essa sarna pode causar problemas ao meu cão?
Sim, quando há queda de imunidade ou enfraquecimento do animal por qualquer motivo, sendo as causas mais comuns: o uso de corticóides (medicações imunossupressoras) e as doenças debilitantes. Na presença de um desses fatores, a sarna, que antes parasitava apenas alguns folículos pilosos, começa a se multiplicar e parasitar inúmeros folículos, causando queda intensa e áreas visíveis de rarefação dos pelos no animal. Importante ressaltar que até este momento seu animal apresenta alterações de pele visíveis, mas não sente coceira nem qualquer desconforto, como na foto ao lado:  
 

No entanto, quando a sarna deixa um folículo em busca de outro, esse folículo abandonado passa a ser um furo microscópico na pele, quase que um convite às bactérias moradoras da superfície cutânea. Assim, a falha dos pelos que antes não coçava, passa a apresentar vermelhidão e crostas amareladas devido à invasão bacteriana da pele nesses locais fragilizados. Isso é a foliculite, que coça e incomoda muito o seu animal e é o mais comum problema que a presença da sarna Demodex pode causar. Repare as crostas formadas na lesão ao lado:

Se não tratada, a foliculite pode agravar e tornar-se uma infecção de pele profunda e purulenta (furunculose), que dói bastante, pode atrair moscas, causando o risco de miíase (bicheira) e deixar cicatrizes na pele ou sequelas para o animal.


6) Quando Cruzar ou Castrar meu animal se ele tem ou teve essa sarna?
A castração é uma precaução não para o seu animal, mas para os filhotes dele, já que a demodicidose generalizada tem caráter genético. A recomendação atual é castrar todos os animais com demodicidose generalizada juvenil diagnosticadas realmente (tem que achar com exames laboratoriais – apenas a suspeita clínica não é suficiente), para evitar que essa tendência genética passe para as gerações futuras.
No entanto, nos casos de demodicidose localizada juvenil, a recomendação é tratar e acompanhar com exames periódicos até a possibilidade de tendência à forma generalizada ser descartada. Os pesquisadores concluíram que a forma localizada não tem transmissão genética, não oferecendo risco aos filhotes e por isso, não sendo necessária a castração do animal.

7) Meu cão ficou idoso e só agora apresentou a sarna Demodécica. Devo me preocupar?
Sim. Se o médico veterinário propôs esse diagnóstico baseado em exames laboratoriais em um cão com mais de 6 anos de idade, isso pode ser grave.
A demodicidose em adultos pode preceder uma doença grave em até 12 meses.
Peça ao seu médico veterinário que, além de tratar os sintomas da sarna, oriente sobre uma detalhada pesquisa de possíveis causas, como doenças endócrinas, insuficiência de algum órgão, como coração e rins, ou doenças neoplásicas (câncer) durante os próximos meses.