terça-feira, 3 de agosto de 2010

Câncer de pele em Cães e Gatos

Sim, é verdade: os cães e gatos podem desenvolver câncer de pele por causa do excesso de sol!

Se o seu cão ou gato é branquinho, você precisa estar preparado para identificar as lesões iniciais do Carcinoma, sabendo como ocorre e por que, para poder proteger melhor e tentar prevenir que isso aconteça ao seu animal de estimação.

O câncer de pele dos cães e gatos é uma neoplasia muito invasiva localmente e por isso mesmo muito difícil de tratar. Por isso, informação e diagnóstico precoce fazem a diferença. Então continue lendo e aprenda mais sobre o assunto!

- Como são as lesões:
Carcinoma nasal em um gato.
Na maioria dos casos, as lesões iniciais de câncer de pele são brandas, apenas uma dermatite solar, com vermelhidão, descamação e crostas na superfície. Com o tempo, evoluem para lesões profundas, crostosas, ulceradas, frequentemente doloridas e sangrantes.

- Locais mais afetados do corpo:
Gatos: ponta das orelhas, nariz e face.
Cães: nariz e ventre.


- Porque os animais brancos são mais acometidos:
A melanina presente na pele dos animais de cor escura confere proteção à radiação ultravioleta emitida pelo sol. Pode-se dizer que quanto mais escura determinada região do corpo do animal, menores serão as suas chances de desenvolver um carcinoma nesse local.

- Como o câncer aparece:
As células do corpo dos animais estão em constante renovação durante a vida. Os raios ultravioleta do sol são capazes de alterar o DNA das células que estiverem em processo de multiplicação (mitose).
Sempre que há exposição prolongada ao sol no horário de dez da manhã às quatro da tarde, várias células da pele estão sendo alteradas pela radiação recebida. Por sorte, há mecanismos protetores, que identificam as alterações ou defeitos causados, corrigindo-os ou destruindo as células afetadas.
No entanto, se houver qualquer falha, as células que passaram por mutação continuarão produzindo células alteradas como elas, formando um aglomerado cada vez maior.

- Como prevenir o carcinoma:
Não há protocolo cem por cento eficaz, mas evitar exposição solar nas horas de maior incidência de radiação ultravioleta é o principal.
Boas dicas são o uso de roupinhas, cobrir o telhado do canil, evitar ficar na janela o dia todo, o uso de filtro solar e até tatuar as áreas despigmentadas para conferir maior proteção local.

- Como é o tratamento do câncer de pele:
Já existem várias modalidades terapêuticas para o carcinoma em Medicina Veterinária, incluindo a remoção cirúrgica de toda a lesão, juntamente com grande margem de tecido não afetado ao redor; a quimioterapia, a eletroquimioterapia, a radioterapia e a criocirurgia.